taxa de condomínio

Entenda como é calculada a taxa de condomínio

Não é de hoje que muita gente tem dúvida sobre a taxa de condomínio e como ela funciona. Portanto, se você está um pouco confuso, fique tranquilo, pois é perfeitamente normal. E foi exatamente por isso que resolvemos fazer o artigo de hoje.

A seguir, entenda de forma simples e prática como essa cobrança é definida. Acompanhe.

Taxa de condomínio: por que ela existe?

Como vimos aqui, morar em um condomínio tem uma série de vantagens e pode ter um excelente custo-benefício. Além das questões de segurança e de manutenção do condomínio em si, imagine que 2 moradores da casa façam academia, já um terceiro goste de nadar de vez em quando. Em um condomínio com área de lazer, o valor que gastariam em uma academia com certeza seria maior do que o rateado do condomínio. E eles poderiam, ainda, relaxar na sauna, chamar os amigos para um happy hour e dar um mergulho do fim de semana.

Além disso, um condomínio está sempre prezando pela manutenção do imóvel, fazendo ações de prevenção e evitando grandes desgastes naturais. E isso inclui tudo o que há no condomínio: áreas externas, elevadores e áreas de lazer.

É por isso que a taxa de condomínio existe: para garantir o bom funcionamento do condomínio como um todo.

O que está incluso na taxa de condomínio?

Um dos temas mais buscados no Google em relação ao assunto é “taxa de condomínio inclui o que”. Por isso, listamos aqui em bullets, pra você entender mais fácil tudo o que está dentro da taxa de condomínio:

  • Manutenção das áreas comuns de lazer (piscina, academia, playground, etc);
  • Conservação e manutenção de todos os equipamentos das áreas comuns (torneiras, tomadas, geladeiras, fogões, etc);
  • Conservação e renovação de equipamentos anti-incêndio;
  • Reparos em instalações elétricas e hidráulicas de áreas comuns;
  • Consumo de energia, gás e água das áreas comuns;
  • Salários, encargos e contribuições previdenciárias de todos os funcionários do condomínio.

O que pode ser cobrado além da taxa de condomínio?

Em todo orçamento, existem gastos extraordinários, que não podem ser previstos – e na taxa de condomínio eles também acontecem. Alguns exemplos:

  • Constituição de fundo de reserva;
  • Pintura e manutenção da fachada e áreas comuns;
  • Obras de reforma;
  • Instalação de novos equipamentos de segurança, anti-incêndio e também de lazer;
  • Indenizações trabalhistas e previdenciárias em caso de demissão de funcionários.

Locatário ou proprietário: quem paga o quê na taxa de condomínio?

Essa também é uma dúvida muito comum referente à taxa de condomínio. Afinal de contas, quem para o quê?

Segundo a Lei 8.245/91, conhecida como Lei do Inquilinato, todas as despesas ordinárias, ou seja, tudo aquilo que mencionamos no que está incluso na taxa de condomínio é responsabilidade do locatário. Já os itens de despesa extraordinária são de responsabilidade do proprietário.

Condomínio clube tem taxa de condomínio alta: verdadeiro ou falso?

Falso. Existem muitas coisas que influenciam no valor de condomínio. O número de apartamentos, os valores dos serviços contratados, o próprio consumo de água, gás e luz nas áreas comuns e também o tamanho do seu apartamento, por exemplo. É por isso que os prédios novos, que possuem muitas áreas de lazer, acabam tendo uma taxa de condomínio mais em conta do que em apartamentos mais antigos.

Residencial Quatro Ilhas: o maior condomínio clube de São José

O Residencial Quatro Ilhas oferece muitas áreas de lazer para toda a família, como piscina, academia, salão de festas adulto e infantil, entre outras opções.

Venha conhecer e se encantar com toda a estrutura. Você também vai se surpreender com a taxa de condomínio, que faz do residencial uma ótima opção custo-benefício para a sua qualidade de vida.